"Regra número 1: a saudade sempre volta para apertar o peito e acertar as contas. Ela se infiltra nos meus sonhos, pelas janelas fechadas dos nossos olhos, e fica ali, quietinha, até se apoderar com força descomunal das nossas fraquezas. Acho que é assim que nascem as nossas lágrimas. Lágrima é a nossa saudade em estado líquido."
Eu me chamo Antônio.  (via oxigenio-dapalavra)
"E mais uma vez, me enchi de esperanças por coisas que não existem."
(via nelsongdn)
"Olhei no fundo dos seus olhos pela última vez, não foi aquela “olhada” rápida, olhei por segundos, que parecia durar uma eternidade, olhei profundamente e sorri, seria a última vez, o nosso adeus. Escolher entre tentar mais uma vez e desistir finalmente, foi a pior decisão que tomei na minha vida. Escolhi ir em frente, e esquecer como estar perto de você faziam minhas mãos soarem, e minhas borboletas inversas no estômago aparecem novamente. Era engraçado como às vezes, nós não conseguíamos sequer olhar um nos olhos do outro, cheguei à conclusão que isso era o medo de se apaixonar, e deixar o amor tomar contra de nós. Não era só você, era eu também! Foi difícil escolher dar adeus para todo aquele sentimento acumulado, odiei fazer aquilo, mas era preciso, necessário. Se não podia te ter, como seria continuar te amando dia pós dia, não aguentava mais isso, e acho que você também não. Fui teimosa tempo o suficiente para tentar, mas não consegui, era a hora do adeus. Era a hora de seguir em frente, era hora do temido adeus."
Anna Paula Varella.  (via cartas-rasgadas)
"I used to walk into a room full of people and wonder if they liked me. Now I look around and wonder if I like them."
"You must learn to let go. Release the stress. You were never in control anyway."
Steve Maraboli (via observando)

Nega-me o pão, o ar,
a luz, a primavera,
mas nunca o teu riso,
porque então morreria.

— Pablo Neruda.

"Será que a felicidade sente saudades de mim?"
Destroços de uma vida acabada, Otávio L. Azevedo  (via poexcitar)